Agromais

Projeto da Universidade de Brasília já plantou mais de quatro mil pés de mirtilo

Fruta ainda é pouco conhecida no Brasil e tem produção concentrada no sul do país

Aromais 04/11/2021 • 14:39
Fruto é originário do Norte da Europa e foi introduzido há pouco tempo no Brasil
Fruto é originário do Norte da Europa e foi introduzido há pouco tempo no Brasil
Luiz Guilherme Fernandes/Divulgação

Especialmente popular na Europa e nos Estados Unidos, o mirtilo é uma fruta pequena com uma característica cor azul. O fruto é originário do Norte da Europa e foi introduzido há pouco tempo no Brasil, mais especificamente em meados da década de 90, quando começou-se o cultivo na região Sul.

O mirtilo nasce em arbustos de baixo crescimento e costuma crescer em florestas de coníferas úmidas, favorecido por solos moderadamente úmidos. Segundo o professor da faculdade de agronomia da Universidade de Brasília, Osvaldo Yamanishi, o mirtilo ainda não é tão popular no Brasil, com uma produção concentrada em regiões mais frias, no Sul, por causa do clima temperado.

Em 2017, iniciou-se o cultivo do mirtilo na Universidade de Brasília. Com o Cerrado surpreendendo a todos, a primeira colheita ocorreu em 2018. Na área experimental da UnB, já foram plantados 4 mil pés da cultura, o equivalente a meio hectare. Cada planta produz até três quilos do fruto por ano.

O mirtilo oferece inúmeros benefícios para a saúde. A nutricionista Juliana Andrade destaca os mais comuns, como a redução do colesterol e da pressão arterial, a prevenção de doenças cardíacas, a melhoria da visão, o controle do diabetes, o combate à infecção urinária, o auxílio na recuperação muscular e a melhora na função cerebral.

É uma fruta rica em antioxidantes, que combate os radicais livres, evitando o envelhecimento precoce. Mas o consumo diário indicado não é grande. O aconselhado é uma quantidade que varia de 20 a 60 gramas por dia de frutos secos e de 160 a 480 miligramas de extrato em pó.

  • mirtilo
  • universidade de brasília
  • fruta
  • fruto
  • fruticultura