Agromais

Inflação ainda faz com que brasileiro escolha carne de frango

Para 2022, preços da arroba do boi gordo continuam subindo

AgroMais 31/12/2021 • 10:03
Alimentos importantes no consumo
Alimentos importantes no consumo
Shpilko Dmitriy/ Shutterstock

A vacinação no mundo todo está aumentando, e isso está fazendo com que as economias globais se reaquecimento, mas a inflação e o desemprego ainda devem continuar pressionando o consumo de carne bovina no Brasil, em 2022.

Os preços da proteína do boi não cederam. E, para o Centro de Inteligência da Carne Bovina, CICarne, uma das explicações é o ciclo da pecuária, quando há menos animais disponíveis para abate. No terceiro trimestre deste ano, por exemplo, os abates recuaram 10,7%, em comparação com o mesmo período de 2020, caindo para 6,94 milhões de cabeças, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. No ano passado, houve queda em relação a 2019.

O CICarne avaliou ainda que este ano foi marcado por realidade similar à de 2020, com falta de animais para abastecer o mercado doméstico. Fora o efeito do ciclo pecuário, a escassez de chuvas nos principais polos produtores também afetou a engorda. Assim, o patamar de preços da arroba do boi gordo se manteve acima de 300 reais no primeiro semestre. E os preços não cederam significativamente nem quando a china, principal importador, interrompeu compras em setembro, por causa de dois casos atípicos de "vaca louca".

Os asiáticos importaram 50% de 1,27 milhão de toneladas embarcadas pelo brasil entre janeiro e setembro. O embargo durou mais de três meses, mas foi suspenso. Sobre as exportações, a expectativa é de avanço em 2022, e a Ásia continuará como o principal consumidor da carne bovina brasileira, com a China à frente.

  • Agronegócio
  • Inflação
  • Carne
  • Carne De Frango
  • Economia
  • Arroba do boi